Carmo Vasconcelos

"FENIX"

 

Enlaces Poéticos

Com :

MALU-OTERO

INICIAL RESPOSTA  
CV -QUANDO TUDO DORME MO - QUANDO OS OUTROS DORMEM 3-1102007

 

 

I

 

QUANDO TUDO DORME
Carmo Vasconcelos



Oh, que noite enorme
quando tudo dorme!
Sento-me no fundo
de mim… e o que ouço?
Que é mágico o mundo!
O fel e o desgosto
risco do papel
afogo num poço…
No amor e no mel
mergulho o meu rosto

Bebo na raiz
da árvore frondosa
vida e temperança
e como um petiz
furtando uma rosa
aspiro a inocência
toco a adolescência
verde e descuidosa…
Retorno à criança
que fui… tão feliz!

Oh, que noite linda
que doçura infinda
que ternos seus beijos!
Dos tempos da infância
afago os desejos
sorvo-lhe a fragrância…
Na noite sem escolhos
sou meu imo aceite
e em terno deleite
fecham-se-me os olhos.

Carmo Vasconcelos
Lisboa-Portugal

QUANDO OS OUTROS DORMEM
Malu  Otero


Quando os outros dormem, eu enfim desperto,
A poesia chega, sacode a alma e me leva a ti...
Viajo longe, mundos que plasmo em meu verso,
Vêm as lembranças e rastros que deixaste aqui.

Os demais dormem, mas a minha busca contida
Pela luz do dia, que me impõe tantas tarefas,
Vê-se liberada da pressão a que estou submetida:
Desperta a alma, vence e faz-se luz nas trevas!

Tenho que dormir, mas me proponho avidamente
Não interromper a busca, seguir em outro plano:
Enquanto os outros dormem, eu, oníricamente,
Regressarei outra vez junto a quem tanto amo.

MALU OTERO
Assis - São Paulo - BRASIL
3/11/2007

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Livro de Visitas