Carmo Vasconcelos

"FENIX"

 

Enlaces Poéticos

Com :

JORGE LINHAÇA

INICIAL RESPOSTA  
CV - CONSPIRAÇÃO JL - CO-INSPIRAÇÃO 13/03/2008

 

 

 I

SALVADOR DALI

 

CONSPIRAÇÃO
Carmo Vasconcelos


Me inundo de prazer vagando no matiz
Do meu poeta quando posa de escrever
E espraia o seu olhar no horizonte a ler
Fundos mistérios de recôndita raiz

E é divina a hora porque em nós acontece
Nessa magia do intocável a excelência
Do fio d'oiro da almejada inconfidência
Que a agulha do desejo enleia e tece

E num oculto fogo ardo de emoção
Nessa ansiedade do tocar da sua mão
Do seu beijo aceso queimando a minha pele

Secreta a força que para ele me impele
Como se o Universo uno conspirasse
E em surdina para os seus braços me levasse

Carmo Vasconcelos
Lisboa/Portugal
13/03/2008

CO-INSPIRAÇÃO
Jorge Linhaça


Ah, quando poetas, o meu peito aqueces,
qual a brasa fumegante no braseiro,
Se de poetar, no entanto, tu esqueces,
faz-se a noite, em minh'alma, qual um fumeiro.

S'os teus versos são a luz do candeeiro,
que m'ilumina toda noite, inconteste,
não m'ocultes a chama, faze primeiro,
os versos do amor que em ti aparece.

Serenos poemas, brotados dessa magia,
que faz-te voar, com fadas, em fantasias,
espalhando o perfume que trazes n'alma.

Bem sei que poetas nas noites mais calmas,
quando a lua vem suave pela janela,
pintando teus sonhos em doc'aquarela.

Jorge Linhaça
Brasil
13/03/2008

 

 

 
Livro de Visitas