Carmo Vasconcelos

"FENIX"

 

Enlaces Poéticos

Com :

DANIEL-CRISTAL

(CLIQUE NA SETA)

INICIAL RESPOSTA  
CV - POETA-PÃO DC - ADIVINHA 20.07.2005
DC - VIVER NA MARAVILHA CV - O MISTÉRIO DA VIDA 26.08.2005

 

 

I

Dia do Amigo

 

POETA-PÃO
Carmo Vasconcelos


Ainda não nasceram as palavras
Que haverei de cantar-te agradecida
Pla colheita dos versos que aqui lavras
Poeta-amigo, pão da minha vida!

Tuas letras são remédio que aduba
Tua seara – mente e coração
Tua pena o ancinho que derruba
Ervas daninhas – dor e solidão

Ervas desse teu chão e meu também
Que o mesmo solo habitas como eu
Filho que és da mesma terra-mãe…

Ou não sejas, poeta, o meu irmão
Que o mesmo amor Divino concebeu
E que enlaçou na tua a minha mão!

Carmo Vasconcelos
Lisboa-Portugal

ADIVINHA
Daniel Cristal


É uma palavra simples, muito pura,
Um signo absoluto na essência,
Um sinal com função de sapiência,
E, quando feita verbo, nos apura.

Sem ela não há vida que nos valha;
Ausente, tudo é vão defeituoso,
O homem fica ignóbil perigoso,
E a sua acção mostra a sua falha.

Da palavra ao verbo, a via é fácil:
Basta emocionar o coração,
Viver a humanidade com-paixão.

Mas, sendo ela dentro, o ser é grácil:
Encoraja a viver perto da cruz,
E, contrária ao ódio, jorra luz.

Daniel Cristal
20.07.2005

 

 

II

 

 

VIVER NA MARAVILHA
Daniel Cristal


O bocado de espaço que me coube
Neste mundo onde estou, foi oferenda
Da mão do grande Deus. Nunca soube
Toda a razão de ser da minha senda.

Nunca soube o motivo do destino...
Foi senda certamente concedida
Pra vencer o desafio onde estimo
Obter uma vitória nesta vida.

Nunca roí a corda à minha sorte
Pra não cair da borda emaranhado,
Mas tive de forçar algum suporte
Quando se encontrava dislatado.

Cometi alguns erros, digo falhas:
Escolhi um mau livro dum acervo,
Rompi o tecido doutras malhas.

Mas, se às vezes creio que alcancei
O Sol que dá calor a todo o nervo,
Outras houve em que soube - nada sei.

O Amor é uma senda que perfilha?
Decerto grato a Deus por ser seu servo
E me deixar viver na maravilha.

Daniel Cristal
26.08.2005

O MISTÉRIO DA VIDA
Carmo Vasconcelos



É misterioso este mar que navegamos
numa rota predestinada e definida
pilotos numa barca a esmo sacudida
onde sobrevivemos ou nos afundamos

É misterioso este chão onde plantamos
as sementes herdadas dum passado extinto
agricultores numa terra em labirinto
onde colhemos ouro ou só pedra achamos

É misterioso todo este ar que respiramos
alento da vida, segredo tão profundo
viajantes oriundos de ignoto mundo
fazendo escala para um destino que ignoramos

E nuvem assaz misteriosa é esta vida
filha do misterioso Deus que não tocamos
uma gota-irmã doutras nuvens que engrossamos
quando nosso Divino Pai nos der guarida

Carmo Vasconcelos
(In Antologia Poética da Associação Portuguesa de Poetas/2003)

   
 

 

 
 

 

 
Livro de Visitas