Carmo Vasconcelos

ANIVERSÁRIO - 2016

 

 

 

 

AGRADECIMENTOS
Amados familiares e amigos! Estou muito feliz e, emocionada, agradeço principalmente a Deus pela dádiva Divina de mais um ano de vida. Sensibilizada por tantas provas de carinho ao meu Aniversário sou profundamente grata a todos vós cujos carinhos calaram fundo na minha alma. Obrigada pela vossa tão terna e generosa amizade expressa em lindas palavras, gifts e flores maravilhosas. Ao meu amado Henrique agradeço com amor pelo trabalho de reunir nesta Colectânea todas as manifestações amigas, para que fiquem preciosamente guardadas na nossa Fénix assim como ficam gravadas no meu coração.
Beijos no coração de cada um que esteve presente neste meu niver e que fez o meu dia ainda mais feliz!
Da vossa Carmo, com gratidão e carinho!

 

 

 

 

 

ACÇÃO DE GRAÇAS
NO MEU ANIVERSÁRIO - 27/Maio
Carmo Vasconcelos

Ante a manhã radiosa me curvei,
O peito arfante, olhar embevecido,
Ido o degrau a mais, atrás vencido,
E a nascitura etapa que ganhei!

Desilusões e abrolhos não lamento,
Em oposto, os bendigo, plo lançado
Crédito escrito a dores, mas alcançado
Num carma evolutivo em incremento.

Que importa as cãs, os passos hesitantes,
O olhar cansado, a cútis já sem brilho?
Se espelham da minha alma o andarilho
À procura de acertos compensantes.

E a cada aniversário conseguido
Eu ergo as mãos em preces de louvor
Ao nosso Deus supremo que em amor
Me abençoa com o ignoto a ser vivido.

E em festa rejubilo, agradecida,
Pela Divina oferta… E em preces lassas
Aos Seus sagrados pés me ajoelho, em graças,
Louvando a feliz dádiva da vida!

***
Lisboa/Portugal
http://www.carmovasconcelos-fenix.org

 
 

 

Henrique L. Ramalho
'te amo, mulher PARABENS!'

 

AMO-TE, MULHER!
Henrique Lacerda Ramalho


Amo-te, meu amor!
Hoje, sinto rasgar-se fácil o meu riso
dantes recusado a qualquer ouvido.
E, ao aconchego da tua presença,
me enlevo no carinho e no beijo,
outrora desenhados apenas no desejo.
Estremeço no prazer de te olhar de perto,
agora mulher minha, na distância ultrapassada.
Meus braços continuamente me fogem
na ânsia de te envolver,
meus lábios, insuficientes para de tanto falar-te,
ávidamente te beijam, a traduzirem as palavras inertes.
Minhas palmas se amaciam
no contínuo acariciar a maciez da tua pele.
Ao teu lado, o meu peito se dilata, pleno de calor,
e no caminhar junto, acerto o passo
até então desacertado.
Na confidência e cumplicicidade mútuas,
descobri dentro de mim, a irmandade desconhecida.
E quando, sentados à beira-mar, olhando o horizonte,
tua cabeça no meu peito,
cabelo esvoaçando nos meus lábios,
só consigo sussurar-te num abraço:
Amo-te, mulher!

 

 
 

Livro de Visitas