27 Maio 2013

Feliz Aniversário

 

 
 

27 de MAIO de 2013

 

Parabens, garotinha:

Simplesmente desejo que se repita sempre no "próximo ano" o teu bem estar fisico, repartindo a felicidade plena entre ti e a que distribuis a todos que contigo convivem.

Que mais falar? Talvez consiga melhor me expressar neste poema que já te dediquei:

AMO-TE, MULHER!
Henrique Lacerda Ramalho


Amo-te, meu amor!
Hoje, sinto rasgar-se fácil o meu riso
dantes recusado a qualquer ouvido.
E, ao aconchego da tua presença,
me enlevo no carinho e no beijo,
outrora desenhados apenas no desejo.
Estremeço no prazer de te olhar de perto,
agora mulher minha, na distância ultrapassada.
Meus braços continuamente me fogem
na ânsia de te envolver,
meus lábios, insuficientes para de tanto falar-te,
ávidamente te beijam, a traduzirem as palavras inertes.
Minhas palmas se amaciam
no contínuo acariciar a maciez da tua pele.
Ao teu lado, o meu peito se dilata, pleno de calor,
e no caminhar junto, acerto o passo
até então desacertado.
Na confidência e cumplicicidade mútuas,
descobri dentro de mim, a irmandade desconhecida.
E quando, sentados à beira-mar, olhando o horizonte,
tua cabeça no meu peito,
cabelo esvoaçando nos meus lábios,
só consigo sussurar-te num abraço:
Amo-te, mulher!

Henrique Lacerda Ramalho
Lisboa/Portugal
27/Fevº/2013

 
 
 

 

Agradecimentos

Amados amigos:


Profundamente emocionada, venho agradecer, feliz por demais por tantas provas de amizade e carinho recebidas pelo meu aniversário.
Há momentos em que as palavras se fazem poucas e tenuamente expressivas para traduzir a imensa emoção que nos inunda a alma e o coração.
- A minha gratidão vai em primeiro lugar para Deus pelo privilégio divino de ter-me permitido alcançar mais um ano de vida nesta já longa jornada terrena, onde cruzámos os passos. Para ELE vai a minha prece de acção de graças, minha fé e minha eterna confiança na sua protecção.
- Agradeço também ao meu amado companheiro, Henrique, que com a sua mestria, mas, sobretudo, com o carinho e a generosidade que o retratam, me preparou a surpresa desta bonita homenagem. Para ele vai o meu amor pela felicidade que trouxe ao meu coração.
- Finalmente, agradeço aos meus familiares e aos amigos, digníssimos poetas e escritores, que tanto me sensibilizaram pela grata oferta de seus poemas, mensagens e palavras amigas. Para eles vai o meu abraço carinhoso, minha admiração e os desejos que mantenham vida afora a inspiração, a sensibilidade e a generosidade que encheram de luz e felicidade o meu aniversário.
Muito e muito obrigada!
A todos desejo as maiores felicidades e bençãos divinas.


Carmo Vasconcelos
Lisboa/Portugal
27/Maio/2013

 

Música de fundo

(letra e tradução livre)

ET SI TU N´EXISTAIS PAS

 

E SE TU NÃO EXISTISSES

 

 

   

 

Et si tu n'existais pas
Dis-moi pourquoi j'existerais
Pour traîner dans un monde sans toi
Sans espoir et sans regret
Et si tu n'existais pas
J'essaierais d'inventer l'amour
Comme un peintre qui voit sous ses doigts
Naître les couleurs du jour
Et qui n'en revient pas

Et si tu n'existais pas
Dis-moi pour qui j'existerais
Des passantes endormies dans mes bras
Que je n'aimerais jamais
Et si tu n'existais pas
Je ne serais qu'un point de plus
Dans ce monde qui vient et qui va
Je me sentirais perdu
J'aurais besoin de toi

Et si tu n'existais pas
Dis-moi comment j'existerais
Je pourrais faire semblant d'être moi
Mais je ne serais pas vrai
Et si tu n'existais pas
Je crois que je l'aurais trouvé
Le secret de la vie, le pourquoi
Simplement pour te créer
Et pour te regarder

Et si tu n'existais pas
Dis-moi pourquoi j'existerais
Pour traîner dans un monde sans toi
Sans espoir et sans regret
Et si tu n'existais pas
J'essaierais d'inventer l'amour
Comme un peintre qui voit sous ses doigts
Naître les couleurs du jour
Et qui n'en revient pas
  E se tu não existisses
Diz-me por que eu existiria
Pra vagar num mundo sem ti
Sem esperança e sem remorso
E se tu não existisses
Eu tentaria inventar o amor
Como um pintor que vê sob seus dedos
Nascerem as cores do dia
E que não voltam

E se tu não existisses
Diz-me por quem eu existiria
Passantes adormecidas em meus braços
Que eu jamais amaria
E se tu não existisses
Eu seria somente um ponto a mais
Neste mundo que vem e que vai
Eu me sentiria perdido
Eu precisaria de ti

E se tu não existisses
Diz-me como eu existiria?
Eu poderia fazer parecer ser eu
Mas eu não seria verdadeiro
E se tu não existisses
Eu creio  que eu teria encontrado
O segredo da vida, o porquê
Simplesmente para te criar
E para te olhar

E se tu não existisses
Diz-me por que eu existiria
Pra vagar num mundo sem ti
Sem esperança e sem remorso
E se tu não existisses
Eu tentaria inventar o amor
Como um pintor que vê sob seus dedos
Nascerem as cores do dia
E que não voltam mais
 

 

Composição: Henrique Lacerda Ramalho

 em 27 Maio 2013

 

 
Livro de Visitas