CARMO VASCONCELOS

"FÉNIX"

POESIA DEDICADA E ACRÓSTICOS

pág. 3 de 11  págs

 

Para a querida Denise Moura
Carmo Vasconcelos




DEUSA P’LOS CÉUS FADADA

D esde sempre quis honrar-te
E sse teu halo de magia,
N as telas que em alquimia
I merges teu dom de encarte;
S ublimando a poesia,
E nriquecendo a nossa arte!
   
M isto de alma e inspiração,
O h, Deusa plos céus fadada!
U nes à mão abençoada,
R eflexos do coração;
Á ureos tons de iluminada!

29/11/2010

Carmo Vasconcelos

 

Para a querida Efigênia, meus votos de
Feliz Aniversário!
Com respeito, admiração e carinho,
Carmo




Acróstico para Efigênia Coutinho

E figênia é dama nobre,
F ilha dos deuses decerto…
I nduz-nos a estar por perto,
G uerreira que a todos cobre!
E la tem garra e nobreza,
N infa das letras, que amamos,
I lustre dama que honramos,
A o ver nela a gentileza
   
C om que ao poeta engrandece.
O lhos de céu, espelho d’ alma,
U ltra bondade que espalma
T oda a grandeza que tece.
I ncansável, leva à altura,
N a AVSPE – a deusa poesia,
H onrosa Luz que nos guia,
O lhos postos na Cultura!

15 de Julho/2011

Carmo Vasconcelos

 

Parabéns, Efigénia!
Com carinhosos desejos de perene Felicidade!
Carmo Vasconcelos

*Variações sobre o seu nome*
(duplo acróstico)
 

Leva um E na sua esteira,
Com
F a fraternidade,
Vai com
I na irmandade,
E com
G segue a guerreira!
Outro
E a diz elevada,
Junto ao
N que é nobreza,
E o
I mostra a incontestada
Alma que é grande altaneza!

Assim:

EFIGÊNIA é a guerreira
Que leva em fraternidade,
No rasto da nívea esteira,
O lauto amor da irmandade.

Numa conduta elevada,
Acende a flama nobreza,
E se faz a incontestada
Alma de brilho e altaneza!

Tudo em seu nome prescrito,
Nesse baptismo bendito!

Salve, 15 de Julho de 2010!

Carmo Vasconcelos

 

Para a querida amiga Efigênia, com votos de Feliz Aniversário e sinceros desejos de longos e prósperos anos na senda da Poesia, com SAÚDE, PAZ, LUZ E AMOR.
Beijos de ternura e amizade, da amiga de sempre
Carmo Vasconcelos

EFIGÊNIA COUTINHO (Acróstico)

E figênia sonhadora
F lameja e brilha su’ alma
I nquieta e lutadora
G anha louros sua palma
E logia a quem escuta
N atureza generosa
I nspira o poeta à luta
A miga e laboriosa
   
C antos lhe sejam louvados
O ásis lhe ofereçamos
U topias, versos, fados
T rinados puros tenhamos
I mersa em letras magia
N ua de enfeites, vaidade
H ospeda em si a alegria
O stensiva da amizade

Salvé 15 de Julho 2008

Carmo Vasconcelos

 

EUGÉNIO DE SÁ
(Acróstico)

E

ugénio foi baptismo do infante

U ngido de água e sal em gestos santos
G emendo, ele se esvaía em prantos
E squivando-se ao ritual, ignorante.
N ão sabia, inocente, o recém-vindo,
I mbuído vir de raras conjunções,
O riginais dons, sacras distinções,
D oados pelo Deus d’amor infindo.
E ugénio é o génio se espargindo,
S imbiose d’estro em policromia,
A lma eleita, pena douta, poesia!

14/07/2007

Carmo Vasconcelos

 

Livro de Visitas

 

PARA PÁG. SEGUINTE