CARMO VASCONCELOS

"FÉNIX"

POESIA DEDICADA E ACRÓSTICOS

pág. 2 de 11  págs

 

Parabéns, Amado Grupo Sentimentos e Artes!
Com o meu louvor às duas Fadas das Artes,
queridas Adília e Elisa, que fundaram este maravilhoso Templo,
onde as nossas Letras ajoelham, frente a tanta Beleza e Amor!
Obrigada, amadas!
Ao nosso Grupo! Sucesso e Longa Vida!
Carmo Vasconcelos




ACRÓSTICO AO NOSSO GRUPO

S

entimentos aqui voam,

E moções ardem e ecoam
N o templo d’arte e poesia!
T ombam sonhos e utopia,
I nefáveis sensações,
M ágicas lucubrações,
E xplodem cores em orgia!
N ós e enredos da vida,
T ormentos do coração,
O lvidamos de seguida,
S e nele damos as mãos!
   
E m amigo-amor de irmãos!
   
A dília, a iluminada
R ainha- mater, prendada,
T ransmuta letras em cor,
E lisa, fada- alquimista,
S onha paletas de amor!

Carmo Vasconcelos

 

FIDELIDADE

Acróstico inspirado no tema “FIDELIDADE”, de Efigênia Coutinho
Por Carmo Vasconcelos

F

idelidade, argêntea luz do que é perene,

I gneo valor dado ao sentir fiel e profundo;
D ecalca em nós um sacro símbolo solene,
E ternizando a devoção que cala fundo!
L iame invisível, a ligar, sutil, na mente,
I ndestrutíveis sentimentos de amplitude;
D ita-nos que é dever fulcral... Justo presente
A o que merece-nos recíproca atitude!
D igno tributo aos recebidos bens de amor,
E leva o ser à dimensão pura e maior!

2/Novº/2009

Carmo Vasconcelos

 

HOMENAGEM À ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS
NO SEU 25º ANIVERSÁRIO, em 21 de Abril

ACRÓSTICO

A ltos ideais e labores tantos,
S entimentos à solta pela pena,
S imétricos voos, alma não pequena,
O des desfilando em alegria ou prantos.
C ismas e anseios, utopias e encantos,
I nsatisfações de lida ingrata,
A mores e desamores que a vida cata,
C óleras e revoltas, orares santos,
Á guas, terra e céus, aqui cantamos,
O rgulhosos deste lar que veneramos!
   
P ortugueses da raiz e seus rebentos,
O sangue dos imortais trovadores
R ecebemos… nos genes, seus valores
T emos, para honrar os seus talentos.
U rge multiplicar as suas trovas,
G arante deste cunho português,
Ú nico povo que primeiro ao mar se fez,
E smorecendo nunca em duras provas.
S omos os seus filhos, sonhadores,
A ltivos e nobres… poetas, prosadores!
   
D ando ao mundo, em versos, novo rumo
E rguida a alma, pé no chão e pena a prumo!
   
P arabéns te damos, nossa eleita Associação,
O lhos postos na cultura em primazia,
E nleados na amizade e na poesia,
T e exaltamos hoje em alegria e comunhão!
A ssociação Portuguesa de Poetas
S ábia, pla Palavra atingindo nobres metas!
 

1985/2010

Carmo Vasconcelos

 

Adília Oya
(Acróstico)

A bençoadas mãos te foram dadas
D ilecta mestra da beleza pura
I mprimes na tela alma iluminada
L aços de luz, amor e formosura
I merges em teus édens coloridos
A s letras de nós, pintores falidos
   
O uve este poema... Hino de louvor
Y es! Sentido canto aos teus dons de raiz...
A miga! Sou de ti mera aprendiz

11/11/2008
Carmo Vasconcelos

 

(Ao querido amigo, poeta Sardenberg, no seu aniversário em 18/8/2005
e 1º aniversário do Alma de Poeta)

AMA SARDENBERG
(Acróstico)

A

MA da poesia a calidez

M enestrel, talvez vate, em era ida
A faga-nos com mão que à paz convida
   
S ARDENBERG é um rei sem altivez
A LMA DE POETA… um ser eleito
R epõe as flores do amor em nosso peito
   
D esbrava dos poemas a nudez
E engastando-lhes perlas de magia
N os envolve em mantos de poesia
   
B rindando-nos de porta sempre aberta
E xpondo a sua alma despojada
R ecebe-nos nessa doce morada
G ozando na alegria da oferta
 

Carmo Vasconcelos

 

Livro de Visitas

 

PARA PÁG. SEGUINTE